Archive for novembro \27\UTC 2008

Fenômeno “Seje”

novembro 27, 2008

http://rascunhosnanet.blogspot.com/

Já faz algum tempo que se nota a presença incomoda do “verbete” “seje” em nosso cotidiano. Não que a língua portuguesa seja fácil, mas é quase deliberado o uso do “vocábulo”. Vez por outra ele é percebido em entrevistas, em novelas e pasmem, até mesmo vindo da boca de quem não devia – universitários, bacharéis, autoridades e políticos, só para citar alguns.
Tudo bem que é um verbo irregular e por isso tem um quê a mais de dificuldade, mas será que lá no coleginho da tia Tetéia não foi pelo menos uma vez conjugado? Ou lembrado mais recentemente?

O que impressiona é a quase forçada pronúncia do “seje”. Acredito que na maioria das vezes até o próprio interlocutor sinta certa estranheza ao proferi-lo. Mas, mesmo assim a utilização é reiterada. Exagero? Pesquisa rápida: Google: “seje”: 3,8 milhões de ocorrências. Ah, dentre elas temos as que corrigem o erro crasso. Novo exame: seje -seja -erro: 1,36 milhão. Se reparar bem, vai até notar alguns anúncios usando o “termo”! Nova busca: “seje” no Orkut, resultado, mais de 1000, entre elas 204 comunidades – claro que algumas são justamente – ainda bem – para criticar o uso errôneo da “palavra”.

Nem o YouTube escapa. Alguns vídeos achados: “Se for amor que seje verdadeiro” – vai ver o amor não é tão verdadeiro assim; “Viva e seje feliz” – será feliz e ignorante por toda a vida; “Seje vc um Rocky” – esse nunca será um Rocky; e até um assassinato de um verso de Vinicius de Moraes: “E que seje eterno enquanto dure” – com certeza alguma coisa vai durar pouco.

Uma explicação plausível para tanta incidência do equívoco é que no presente do subjuntivo o “e” final seja usado com bastante freqüência – desculpe-me pelo eco. Mas, essa desinência só ocorre – em regra – nos verbos da primeira conjugação, final “ar”. Ou seja, somente para verbos como estar, falar etc. Já os da segunda e terceira formam – não sei se há exceções – em “a” assim como o nosso seja.

O fato é que de tanto ouvir alguns menos letrados ou desatentos acabam se viciando no “seje” e o dão como certo. Um verdadeiro fenômeno. Fica uma dúvida será que existe erro verbal mais comum que esse?

Anúncios

O Rádio e a Comunicação

novembro 27, 2008

Havia sete pessoas naquela casa. Era uma família moderna. Certo dia uma visita ligou o rádio e sintonizou numa estação que só tocava música clássica. Ninguém no lugar gostava desse tipo de sonoridade. Aquele lar se tornou mais calmo, sereno e inteligente. Todos tinham vergonha de desligar ou mudar para outra música. Os sete ignoravam totalmente quem teria ligado e colocado aquele som, mas nenhum se pronunciava. Era um veículo de comunicação a toda e uma casa sem o mínimo de troca.

Formas Redondas

novembro 21, 2008

Estão acabando com os arredondados. Cada vez mais quadrados e arestas. Valores não completos. Olho para um lado, um quadrado, do outro um retângulo. Nos morros predominam um emaranhado de cubos ou formatos sólidos de prismas, paralelepípedos. Por isso tantos gostam de Niemeyer e Di Cavalcanti e suas redondas e curvilíneas linhas. Mundo mais feliz: caminhar e passear pelas sinuosas trilhas.

A conquista

novembro 21, 2008

Suave, maliciosa, esperta, à espreita. Aparece num olhar. Na vibração dos corações. Audaciosa e perspicaz atua sob instinto e se anuncia em gestos, fixações e sombras. Fica escondida, mas ressurge quando da presença da vítima.

Caçadores desleais pegam no ponto mais fraco dos seres. Criam um clima de taquicardias, inseguranças e medos. Em seu ambiente permanecem mais fortes, mas atacam em qualquer lugar. De maneira às vezes atabalhoada avançam com o sentimento que os toma. Se o conquistado está frágil então já o tem. Num segundo, e, estão tomados em desejos. Calores, tesões, vibrações, sangue quente pelas veias. Na pele, o calor emanado, suores, feromônios, atraem suas presas, que agora à deriva caminham, sem pensar, só seguindo o momento. Criaturas. Homem e mulher no fundo são animais. Conquistadores e conquistados.

Ponto de Natal

novembro 19, 2008

.
Mais um ponto.
Contar mais um ponto. Um ponto a favor.
A favor da solidariedade. Em favor da paz. Contra a pobreza.
Em benefício do bem estar.
Para melhorar a vida. Aliviar os sofrimentos. Ajudar o amor.

.
Ponto de Natal.
O melhor ponto de Natal para um melhor conto de Natal.
Dentro de cada coração.
.
Ponto.

Jogo com uso de Inteligência Artificial (IA) – BlackBoard

novembro 18, 2008

http://tecnasopa.blogspot.com/

Há alguns dias me deparei com um jogo na Internet e achei fantástico. É um gênio (Akinator) que advinha em que você está pensando. Mas, como? Ele faz perguntas e o internauta classifica em cinco opções, a saber: sim; provavelmente, parcialmente correto; não sei; provavelmente não, não realmente e não. Baseado nas suas respostas escolhidas, para cada pergunta, que o programa propõe vai se seguindo um caminho.

Depois de no máximo vinte perguntas – pelo menos até agora não passou – ele irá “chutar” um personagem. Na maioria das vezes, através das questões propostas você já nota que ele está se encaminhando numa linha certa. Em alguns momentos parece que se perdeu, mas eis que num percentual muito grande ao final do jogo lá está a resposta, correta e surpreendente! Bravo! Fico imaginando não só a IA envolvida, para muitos chamada IAD (Inteligência Artificial Distribuída), que envolve o programa (PHP, XML, XSL, HTML etc.). E a base de dados! Imagine que se você tentar Ayrton Senna, ele deve acertar. Mas, é claro, o Ayrton foi campeão mundial, extremamente conhecido e contemporâneo. Tá bom, então, digamos: Gengis Khan. Ok, parece fácil, afinal apesar de antigo é bem conhecido. O que você diria se tentar o jogador de futebol do Flamengo Ibson e a resposta for correta? Convenceu-se? Não? Tente o seu irmão. Tente o seu cachorro. Seu gato, o cão da padaria, o Gulliver, o Mário (do jogo Mario Bros.) e muito mais. Que tal? Fantástico. Sem dúvida uma excelente sacada, que deve ter muito trabalho por trás e além de um processamento enorme e um banco de dados muito grande.

Pensemos agora em como isso ainda pode evoluir. Em aplicações outras, não seríamos capazes de jogar alguns dados e acertar a previsão do tempo? Ou uma compra e venda de ações numa bolsa de valores? Quantas utilidades! Muito bom esse tal de BlackBoard!

Site: http://www.devinettor.com/aki_en/index.html#
ou: http://www.akinator.com/