Archive for the ‘1’ Category

Fê – VII

março 19, 2008

Menina brilha e reluz, preciosa alegria d’alma, felicidade que me conduz!

Anúncios

Com-prazer

março 19, 2008

Tens a graça do amor

A riqueza dos sorrisos

A alegria da alegria

No que mais eu podia?

 

Tornar permanente?

Para sempre feliz!

Busquei, já fiz

Sim, está imanente

 

Na verdade, se escondia

Tristezas de não viver

Antes, pouco a se ver

Agora é todo dia

 

Junto, vontade incontida

Dos prazeres e carinho

Mais e mais entretida

Também nua, amorzinho!

Na Sala

março 19, 2008

Fez-se o amor num instante

Longarinas rascantes

no mar revolto

Tomo, e absolto

 

Foi-se chegando, tomando

espaço, se firmando

Repentinamente lá estava

Coração em punho ocultava

 

Sons Meireles, oitava

Violinos se escutava

Alma se abria

Momento se repartia

 

Vestido e fantasia

Amor, dedicação

Tudo nela queria

Veio meu furacão

Oração de São Francisco de Assis

março 3, 2008

Senhor! Fazei de mim um instrumento da vossa paz.
Onde houver ódio, que eu leve o amor.
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão.
Onde houver discórdia, que eu leve a união.
Onde houver dúvidas, que eu leve a fé.
Onde houver erro, que eu leve a verdade.
Onde houver desespero, que eu leve a esperança.
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria.
Onde houver trevas, que eu leve a luz.
Ó Mestre, fazei que eu procure mais:
consolar, que ser consolado; compreender, que ser compreendido; amar, que
ser amado.
Pois é dando que se recebe. É perdoando que se é perdoado.
E é morrendo que se vive para a vida eterna.

Glorioso São Francisco, Santo da simplicidade, do amor e da alegria.
No céu contemplais as perfeições infinitas de Deus.
Lançai sobre nós o vosso olhar cheio de bondade.
Socorrei-nos em nossas necessidades espirituais e corporais.
Rogai ao nosso Pai e Criador que nos conceda as graças que pedimos por vossa
intercessão, vós que sempre fostes tão amigo dele.
E inflamai o nosso coração de amor sempre maior a Deus e aos nossos irmãos,
principalmente aos mais necessitados.
São Francisco de Assis, rogai por nós.

Amém.

Passear pelo teu corpo

fevereiro 26, 2008

Na camisola de cetim
Tem muito prazer e,
Sensações sem fim.
Como é bom te ter.

Nas rendas e também,
Até na calça jeans,
Quantas loucuras têm
Em ti de cor marfim

Na flor no teu cabelo,
Linda a combinar com
Os verdes olhos em tom.
Trato-te com desvelo.

E volto aos cabelos
Com a enorme mão
Que tanto nos fez elos,
Somos um só coração.

E continuo na linha,
Das coxas e do sexo.
Toda bem feitinha,
Sinto-te num amplexo.

Rosto perfeito, das maçãs.
Admiro e me emociono,
Quão bonita e traciono
Para perto, num afã.

Dos pés subo até o ventre,
Onde buscamos baby son.
E me olha para que adentre
Com meu corpo em ti, sã.

Voar

fevereiro 25, 2008

 

Salmo 23 – Para afastar as aflições do espírito, as pessoas falsas e para conquistar um coração mais puro.

janeiro 30, 2008

1 O Senhor é o meu pastor; nada me faltará.

2 Deitar-me faz em pastos verdejantes; guia-me mansamente a águas tranqüilas.

3 Refrigera a minha alma; guia-me nas veredas da justiça por amor do seu nome.

4 Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam.

5 Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos; unges com óleo a minha cabeça, o meu cálice transborda.

6 Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida, e habitarei na casa do Senhor por longos dias.

Post Gigante

dezembro 21, 2007
 
Oito dias

Por oito dias… Caminhamos pela ilha. Mergulhamos em águas límpidas. Ensinei-te a nadar. Beijei-te no mar. Se dependurou em mim, nos abraçamos. Passeamos por trilhas. Avistamos pássaros. Admiramos o verde da mata. Visitamos cachoeiras. Almoçamos comida caseira. Compramos bugigangas. Tomamos chuva bem agarradinhos. Fizemos amor e dormimos encantados. Brincamos na praia e subimos pedras. Enveredamos por caminhos desconhecidos. Visitamos ruínas. Andamos de barco. Tomamos Sol e cuidamos um do outro. Dei-te comida na boca. Beijei-te. Escorregamos em nossos corpos. Suamos e sorrimos.

Como é bom estar contigo.

Fomos felizes por oito dias na ilha que é dos deuses.

 

O Toque

Ainda sinto os dedos longos e rígidos a deslizarem entre os meus.

Envolvendo minha pequena mão. Encaixe perfeito! Intensa surpresa!

As palmas colando-se imanizadas pelo desejo.

Mãos que se buscavam, feito peças de quebra-cabeça já perdidas e esquecidas pelo tempo. Não mais duas, ímpar!

Energia gerada, aquecimento veloz, uma corrente 220v de pura sensualidade.

Dedos que se aninhavam e se possuíam. O todo espalhando radiação, nas veias, percorrendo o corpo, apossando-se d’alma e instalando-se definitivamente nas entranhas.

Transe total! Delírios sensoriais jamais imaginados.

Sabendo-se o final, nada mais importava! Nem mesmo o resvalar ousado no pescoço, este arrogante ponto erógeno com dificuldade se fez presente por um breve e ínfimo momento, sendo-o permitido para não se esvair o encantamento.

O resto? Andar, falar, ver, ouvir….

Nada me lembro! Somente meu coração acelerado e cérebro paralisado!

Eu, em êxtase frenético e furtivo, em derradeiro caos…

Ela

 

Deusa Grega

Nua, decidiu como numa brincadeira se envolver no lençol e traçar contornos de uma fantasia de Deusa Grega. Linda, se admirando no espelho fiquei a admirá-la. Num amplexo, peguei-a e num momento juvenil, me atirei na cama, puxando-a comigo com seu corpo por cima. Abracei-a mais forte com desejos de carinho. Ficamos ali por alguns momentos nos olhando pelo espelho instalado no teto, nos querendo e gostando. Risadas divertidas foram dadas e rolamos pelo colchão bagunçado em alegrias, ternuras e muito amor.

 

Fê – IV

Fazendo o jardim,
Fui pego de surpresa,
Fera a estraçalhar braços e peito
Faiscantes olhos.
Fugi, tentei, voltei.
Feixe de forças espirituais.
Faceira criatura, a passear
Facetas mil, ora feroz, ora suave
Filou o corpo e o coração
Fascinado pela pele, penugem perfeita.
Fazer o quê?
Fina flor de encantos mil

Agora

Quero te inundar de beijos
Sentir teu corpo
Abraçá-lo e sentir te junto a mim
Num abraço apertado perder a noção de tempo
Puxar os sentimentos mais fugidios para dentro do meu ser
Captar as boas vibrações vindas dos céus
Transmitir a ternura dos deuses
Passar o que há de melhor no mundo para você
Poder no amor te dar a alegria mais completa
Fazer-te a mais feliz das criaturas
Tudo e agora!
E sempre!

Rimas de ocasião

Acertou em cheio com essa poesia de Álvares de Azevedo*!
Já não tenho mais medo!
Realmente estou amando e muito.
Sei que na vida é esse o intuito.
Se sou poeta não sei.
Sei que tentei.
Mas, o gosto por poesia e pelas pessoas está em mim.
Em especial por uma, com bochechas em vivo carmim.

* A poesia de Álvares de Azevedo em questão:

“…Descansem o meu leito solitário
Na floresta dos homens esquecida.
À sombra de uma cruz, e escrevam nela:
– Foi poeta – sonhou – e amou na vida.”

Cairo

dezembro 20, 2007